Operação “Coalizão” recolhe quase 600kg de drogas e prende 25 pessoas em Patos de Minas e região

Minas Gerais

O Gaeco de Patos de Minas, a Polícia Militar e a Polícia Civil deflagraram na manhã desta quinta-feira (10) a Operação “Coalizão”, que busca cumprir mandados de busca e apreensão e de prisão a grupos criminosos relacionados ao tráfico de drogas. Na ação, vinte e cinco pessoas foram detidas pelos policiais, e quase 600kg de drogas foram recolhidos, entre maconha, cocaína e crack. 
 
A operação atuou em Patos de Minas, Guimarânia, Presidente Olegário, Patrocínio e Uberaba. O objetivo da ação era frear uma organização criminosa que comandava o tráfico de drogas em Patos de Minas e região. O foco dos policiais foram quatro núcleos da facção que atuavam no Bairro Jardim Esperança. De acordo com o Delegado de Tóxicos e Entorpecentes, Érico Rodovalho, o conglomerado criminoso investigado tem ligação com o PCC, grupo criminoso de alcance nacional.
 
As investigações estão em curso desde o mês de abril. Até então, haviam sido expedidos 53 mandados de busca e apreensão e 12 mandados de prisão. Dezenove pessoas já tinham sido detidas, das quais algumas ainda estão presas. Além disso, no decorrer das investigações, foram recolhidos 419kg de maconha, 2kg de cocaína e 168kg de crack, além de duas armas de fogo – uma delas, uma submetralhadora. 
 
Com a deflagração da operação na manhã desta quinta, foram cumpridos mais oito mandados de prisão, e outras 17 pessoas foram presas em flagrante. Também foram recolhidas mais quatro armas de fogo, 52 celulares, munição e veículos. Segundo o Promotor de Justiça e Coordenador do Gaeco, Cléber Couto, as investigações prosseguirão nos próximos meses para desmantelar o restante do conglomerado criminoso.
 
Participaram da operação 165 policiais militares, 10 policiais civis, viaturas caracterizadas e descaracterizadas, aeronaves, drones, Agentes do GCOC/GAECO, Delegados de Polícia, Promotores de Justiça e agentes públicos do MPMG.

Patos Hoje



Redação
Author: Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *