Conheça a Praça Viviana Rocha, um dos espaços urbanos mais importantes de Guarda-Mor

A Praça Viviana Rocha é um dos espaços urbanos mais importantes para a cidade de Guarda-Mor. Sua história se confunde com a trajetória evolutiva do antigo arraial. A ocupação deste espaço urbano teve início em meados do século XIX, com a construção da Capela de Santa Rita dos Impossíveis, situada nas imediações da atual praça.

O arraial se consolidou em torno dessa capela. Nessa época havia poucas casas, existia apenas a rua do Comércio, onde é até hoje. O ex-prefeito Osório Severino Botelho relatou que (…) aqui tinha uma escola municipal, que pertencia a Paracatu. Na época dessa escola, Dona Filhinha, que é a Viviana Rocha, era professora; médica, parteira, mãe de todos, pois aqui não havia recursos e até hoje, Guarda-Mor é muito grato a essa grande mulher. Com o aumento da população foi feita a divisão de quarteirões e lotes de 30 x 40m para que os moradores pudessem construir suas casas, e dessa forma o espaço foi urbanizado.

A praça foi construída onde outrora residia Dona Viviana Rocha, assim o nome da praça foi escolhido em homenagem à amada Dona Filhinha, nome que era pronunciado com o máximo carinho e respeito, demonstrando a gratidão que a população guardamorense tem pelos seus nobres atos.

A Praça Viviana Rocha tem formato retangular, com traçado assimétrico e vários canteiros. Há no meio da praça um coreto de formato hexagonal, com estruturas de tijolos, pilastras, guarda corpo metálico e cobertura de telhas francesas. Há bancos dispostos em diversos pontos da praça, é iluminada e possui variadas espécies de forrações, arbustos, flores e árvores de grande porte, como palmeiras.

É evidente a importância dessa praça para a história de Guarda-Mor; mesmo passando por modificações ao longo dos anos, nunca perdeu sua identidade.

Esse bem é extremamente valioso para a população guardamorense, tornando-se o primeiro bem inventariado da cidade, realizado no ano de dois mil e dezesseis.

Para que a mesma continue sendo local de lazer e desperte nas gerações futuras o sentimento de pertencimento, é preciso que passe por uma restauração. Há um projeto a respeito que já foi aprovado para reforma da praça e está aguardando o início da obra.

Referência: Arquivos Casa de Cultura Guarda-Mor. IPAC 2018.

Solange Cristina de Faria Dayrell

Written by 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *