Contas de Dr. José Benedito são aprovadas pela Câmara de Vazante

Contas de Dr. José Benedito são aprovadas pela Câmara de Vazante

A Câmara Municipal aprovou, por unanimidade, o parecer prévio do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE-MG) sobre as contas do ex-prefeito de Vazante, José Benedito (PSB), relativas ao exercício de 2015.

Apreciadas e discutidas em reunião ordinária nesta segunda-feira (21), as contas foram aprovadas sem ressalvas, conforme recomendação do tribunal. Em pareceres conjuntos, as Comissões de Finanças, Orçamento, Tomadas de Conta e Legislação, Justiça e Redação da Câmara Municipal também seguiram a orientação do TCE-MG e recomendaram a aprovação das referidas contas, que são inerentes ao terceiro ano da administração de Dr. José.

Já em seu parecer, também favorável a aprovação sem ressalvas das contas do ex-prefeito, o assessor jurídico da Câmara Municipal, advogado Carlos Henrique da Silva, observou que foram cumpridos os limites legais de aplicação do Orçamento Municipal no ensino, educação, saúde, folha de pagamento e despesas com pessoal, bem como o repasse mensal ao Poder Legislativo.

Vereadores de Vazante indicam contratação de show para aniversário da cidade

Vereadores de Vazante indicam contratação de show para aniversário da cidade

Os vereadores Maurício Araújo e Joel da Associação assinaram a indicação de nº 074/2017 solicitando, ao prefeito de Vazante, Dr. Jacques Soares Guimarães, a contratação, para o aniversário de Vazante (12/12) de um show infantil como forma de presentear as crianças que não tem praticamente nenhuma opção de lazer na cidade.

Segundo os vereadores em outros eventos, como: Festa da Lapa e até o aniversário da cidade sempre foram contratados shows voltados para o público adulto.

Os vereadores também solicitaram através da indicação 075/2017 o retorno do Festivaz, que há 04 anos não é realizado em Vazante. A Prefeitura Municipal já confirmou que este ano o evento será realizando nas comemorações do aniversário da cidade, em 12 de dezembro.

Câmara de  Vazante discute parecer do Tribunal de Contas relativo ao exercício 2015, governado por José Benedito

Câmara de Vazante discute parecer do Tribunal de Contas relativo ao exercício 2015, governado por José Benedito

A Câmara Municipal realiza reunião ordinária às 18h desta segunda-feira (21) para apreciação e discussão do Projeto de Lei 018/2017, que dispõe sobre celebração de Termo Associativo entre o Município de Vazante e a Associação do Circuito Turístico Noroeste das Gerais.

Conforme justificativa do projeto, a assinatura do termo visa cumprir requisitos essenciais para que o município possa obter os benefícios da política de turismo do Governo do Estado, amparado na referida associação, que já abrange 15 cidades do Alto Paranaíba e Noroeste Mineiro.

Outra discussão dos vereadores será sobre o parecer prévio do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE-MG), relativo à prestação de contas da Administração Municipal no exercício de 2015.

Também serão discutidas e votadas as indicações, moções e requerimentos, apresentados pelos vereadores no prazo regimental.

Ex-deputado João Bittar morre aos 54 anos em Uberlândia

Ex-deputado João Bittar morre aos 54 anos em Uberlândia

O ex-deputado João Bittar (DEM) morreu neste domingo (20), em Uberlândia, aos 54 anos. O falecimento foi confirmado na manhã desta segunda-feira (21) pelo Cemitério Parque dos Buritis, onde o corpo está sendo velado. O sepultamento será às 17h.

A família informou que João Bittar estava em tratamento contra um câncer há cerca de um ano. No último sábado (19) ele foi internado com quadro de pneumonia no hospital Uberlândia Medical Center (UMC).

Do voluntariado à política

O político João Bittar Júnior nasceu em abril de 1963 em Ituiutaba. Mudou para Uberlândia e foi fundador e voluntário da ONG LAR destinada ao atendimento de pessoas de baixa renda. Com forte atuação nas áreas de desenvolvimento social, saúde e educação, Bittar se elegeu vereador por três mandatos em Uberlândia e disputou as eleições para prefeito municipal em 2004 e 2008.

Como deputado estadual entre 2003 e 2007, foi presidente da Comissão de Assuntos Municipais e Regionalização, membro da Comissão de Participação Popular e da Comissão de Política Agropecuária e Agroindustrial. Também presidiu a Comissão de Turismo, Indústria, Comércio e Cooperativismo (2005).

O parlamentar se candidatou ao cargo de deputado federal e, ainda em 2007, tomou posse pela primeira legislatura na Câmara dos Deputados. O mineiro assumiu como suplente no mandato de 2011 a 2015, sendo efetivado em 2014.

G1

Guarda-mor recebe encontro da AMM e reúne lideranças de todo estado 

Guarda-mor recebe encontro da AMM e reúne lideranças de todo estado 

Guarda-Mor foi o terceiro município mineiro a receber o projeto de interiorização “AMM nos Municípios – Encontro nas Macrorregiões”, nesta sexta-feira, 18 de agosto. Localizado na macrorregião Noroeste do Estado e microrregião de Paracatu, o município possui aproximadamente 6.500 habitantes e faz parte da diretoria regional da Associação Mineira de Municípios (AMM) na região, juntamente com Cabeceira Grande e João Pinheiro. Com área de  2.065,595 km² o município tem sua economia baseada na agropecuária, sendo um dos maiores produtores de grãos de Minas Gerais e possuidor de grande rebanho leiteiro e de corte.

O prefeito do município, que é também diretor da AMM Região Noroeste e Presidente da Associação Microrregional dos Municípios do Noroeste de Minas (AMNOR), Edgar José de Lima, destacou a importância no evento em Guarda-Mor. “Essa interiorização da AMM na gestão do presidente Julvan está sendo muito bem conduzida. É uma ação que fortalece a entidade, une os prefeitos e capacita gestores e servidores”, disse.

Esse projeto itinerante da AMM tem como objetivo aproximar e unir os municípios mineiros, promovendo um momento de capacitação e debate político voltado para as causas municipalistas e bandeiras locais, tornando o estado de Minas Gerais cada vez mais forte e participativo.

Além do debate político, os parceiros da AMM – órgãos estaduais como a Secretaria de Estado de Cidades e de Integração Regional (SECIR), da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SESP), Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE/MG), Ministério Público de Minas Gerais (MP/MG), Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais (CREA/MG), Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Minas Gerais (OAB/MG) e Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Minas Gerais (COSEMS/MG) – apresentampalestras com os principais temas ligados à administração pública municipal.

O vice-governador de Minas, Antonio Andrade também participou do encontro Prefeitos, vices, presidentes de câmaras, vereadores, secretários municipais, técnicos, servidores públicos e profissionais da sociedade civil participaram do encontro público na Câmara Municipal.

Gleisi Hoffmann, representante legal do PT tem seus dias contados

Gleisi Hoffmann, representante legal do PT tem seus dias contados

A senadora Gleisi Hoffmann não é apenas a representante legal do Partido dos Trabalhadores — enquanto presidente da legenda da estrela rubra. Gleisi é hoje o retrato mais bem acabado do fosso profundo em que se embrenhou a sigla.

Como irmãos siameses, ambos podem ser facilmente confundidos. Cordeiro só na epiderme de porcelana, Gleisi é como o PT dos últimos tempos: posa de tolerante, mas nunca apresentou-se tão autoritária. Finge-se de democrata, mas não hesita em franquear apoio a ditaduras — como a instaurada por Nicolás Maduro, na Venezuela. Alega ser vítima de perseguição política, mas é quem melhor encarna o papel de algoz de parcela dos brasileiros. Arvora-se paladina da ética, mas é constantemente flagrada com as mãos sujas da corrupção.

É a tal cegueira mental de que falava José Saramago: consiste em estar no mundo e não ver o mundo, ou só ver dele o que for suscetível de servir aos seus interesses. Na última semana, a Polícia Federal concluiu um contundente relatório em que imputa a Gleisi os crimes de corrupção passiva qualificada e lavagem de dinheiro.

O relatório congrega laudos técnicos, registros de telefonemas, planilhas e trechos de delações de executivos da Odebrecht e de sócios de uma agência de publicidade da qual a petista se valeu para receber propina. A partir dos documentos é possível traçar o caminho do dinheiro até Gleisi Hoffmann. Uma das planilhas em poder da PF indica as datas de oito pagamentos de R$ 500 mil cada para a campanha de “Coxa” ao Senado em 2014. Segundo a delegada Graziela Machado “existem elementos suficiente a confirmar que o codinome Coxa se refere a Gleisi Helena Hoffmann”.

O esquema envolveu também o Ministro do Planejamento no governo Lula e das Comunicações no governo Dilma, Paulo Bernardo — marido de Gleisi e que chegou a preso por desviar recursos de empréstimos concedidos a servidores públicos aposentados. O conjunto de desembolsos à petista perfaz um total de R$ 4 milhões, mas os colaboradores chegaram a mencionar repasses de R$ 5 milhões apenas no ano de 2014.

Fonte: Lava Jato News