Por falta de energia elétrica COPASA irá interromper fornecimento de água em Vazante 

Por falta de energia elétrica COPASA irá interromper fornecimento de água em Vazante 

Companhia de Saneamento de Minas Gerais (COPASA) divulgou na manhã desta sexta-feira (15), nota informando a interrupção do abastecimento de água em Vazante. Segundo a nota, a paralisação programada se deve à falta de energia elétrica na unidade de captação do Rio Carranca.


A população deve ficar atenta ao consumo, já que o reestabelecimento está previsto para ocorrer durante à noite. 

NOTA

“A COPASA informa.

O fornecimento de água de Vazante será interrompido hoje, dia 15 de dezembro de 2017, a partir das 14h, devido a problemas na linha de transmissão da CEMIG, responsável pelo fornecimento de energia elétrica para a unidade de captação de água Carranca.

A Normalização do abastecimento será gradativa a partir das 20h, de hoje dia 15/12/2017.

A COPASA agradece a compreensão de todos e pede o apoio no sentido de que sejam evitados gastos desnecessários de água no período.

Para mais informações ligue: 115.”

Fonte: Prefeitura de Vazante 

Vereador Januário Dentista é eleito presidente da Câmara de Presidente Olegário

Vereador Januário Dentista é eleito presidente da Câmara de Presidente Olegário

O vereador Januário Dias Moreira “Januário Dentista” (PV) foi eleito presidente da Câmara Municipal de Presidente Olegário, na tarde desta segunda-feira (11/12). A chapa única obteve 11 votos, ou seja eleita por unanimidade.

Além de Januário Dentista, assumem a mesa diretora a partir de 1º de janeiro de 2018, os vereadores, Adamilton Oliveira da Silva “Dada” (PRB) vice-presidente e Zélia Terezinha Araújo de Queiroz (DEM) como secretária.

Januário Dentista vai suceder o atual presidente Welson Braga de Souza (PP). O experiente vereador está em seu quinto mandato, e irá assumir a presidência da casa pela segunda vez. Januário Dentista, foi o vereador mais votado nas últimas eleições, obtendo 1.054 votos.

FONTE

CURIOSIDADE: O que são e como são formadas as “dolinas”

CURIOSIDADE: O que são e como são formadas as “dolinas”

Por Cícero Borges;

Dolina é uma depressão no solo característica de relevos cársticos, formada pela dissolução química de rochas calcárias abaixo da superfície. Geralmente possuem formato aproximadamente circular e são mais largas que profundas. Podem ser inundadas por lagoas ou secas e cheias de sedimentos, solo ou vegetação. Quando inundadas e ligadas a uma caverna marinha, são chamadas cenotes (da língua maia dz’onot, sagrado).

Dolinas formadas pelo rebaixamento lento do terreno são chamadas dolinas de subsidência lenta. Quando causadas por desmoronamento de cavernas, são chamadas dolinas de colapso, que também podem dar origem a uma abertura na caverna. Quando formadas sob o curso de um rio podem dar origem a um sumidouro.

FORMAÇÃO

Em relevos cársticos, as rochas são dissolvidas pela água ácida resultante da combinação da água da chuva com o gás carbônico (CO2) da atmosfera ou do solo. Ao passar por frestas da rocha, a água dissolve e carrega os minerais rumo ao lençol freático. Isso pode alargar as aberturas na rocha e formar cavernas e diversas outras feições no terreno. À medida que as rochas sob a superfície são dissolvidas, o terreno cede e formam-se dolinas ou outros tipos de vales. Muitas vezes, várias dolinas próximas se unem por erosão, formando úvalas.

DOLINA DE SUBSTÂNCIA LENTA

Também chamadas dolinas de dissolução. Quando a rocha é lentamente removida por infiltração em rachaduras o solo é rebaixado lentamente, sem formar cavidades subterrâneas. À medida que a rocha é removida o terreno pode ser rebaixado vários metros, formando grandes vales. Em muitos casos há exposição de rochas nas laterais da dolina. Podem ser inundadas, mas freqüentemente são secas e apresentam vegetação em seu interior.

DOLINAS DE COLAPSO

Quando uma caverna cárstica é formada dentro da zona freática, as galerias podem se alargar e tomar grandes proporções. Em geral o teto dessas galerias é sustentado pela pressão da água que corre em seu interior. Quando o nível freático é rebaixado, o teto perde a sustentação e pode desabar, provocando o rebaixamento de toda a camada rochosa acima da caverna e formando dolinas de colapso, que podem atingir centenas de metros de profundidade.

Em alguns casos essas dolinas podem dar acesso à caverna através de janelas ou clarabóias. É comum que sejam inundadas e permitam o acesso a rios e lagos subterrâneos. Este tipo de dolina era chamado pelos maias de cenotes, nome que deriva do termo maia dz’onot, sagrado, devido ao seu uso ritual. Cenotes podem ter ligação direta com cavernas marinhas e em alguns casos possuem uma camada de água doce em cima e água salgada por baixo. Este tipo de dolina é muito comum no México e na Flórida. Os cenotes da península de Yucatan são populares pontos de mergulho.

DOLINAS CAUSADAS PELO HOMEM

Dolinas podem ser formadas em áreas urbanas, causadas por vazamentos em sistemas de distribuição de água ou coleta de esgotos ou por falhas na drenagem de águas de chuva. Esses eventos podem ocasionar erosão subterrânea e levar ao desmoronamento de ruas e calçadas. Em casos mais graves, as fundações de edifícios podem ser prejudicadas, levando ao seu abandono.

Formações semelhantes também podem ser ocasionadas pelo desmoronamento de túneis, tubulações de água e esgotos ou minas abandonadas.

CARACTERÍSTICAS

Dolinas naturais são encontradas em todo o mundo, geralmente ligadas a relevos cársticos. Na maior parte desses terrenos existem dezenas de dolinas muito próximas umas às outras. Em alguns casos, dolinas podem se expandir linearmente, formando longos vales semelhantes a cânions, não associados à presença de rios. Em outros casos, três ou mais dolinas próximas podem se unir formando conjuntos semelhantes a cachos de uva, chamados uvalas.

Em áreas habitadas, as dolinas podem ser um risco de contaminação de águas subterrâneas. Uma vez que formam o caminho preferencial da água em direção ao lençol freático, o despejo de detritos ou o uso turístico de dolinas pode levar contaminantes diretamente para a água, sendo uma das principais fontes de poluição nesse tipo de terreno.

Dolinas naturais podem atingir centenas de metros de profundidade e são muito procuradas para a realização de esportes de aventura, tais como rapel, escalada, canyoning e caminhadas. Também são muito procuradas para mergulho e como pontos de acesso para cavernas. Como são características do relevo cárstico, são estudadas por espeleólogos.

Vazante registra surgimento de mais uma dolina nesta quinta-feira, 07/12

Vazante registra surgimento de mais uma dolina nesta quinta-feira, 07/12

por Cícero Borges;

Na tarde dessa quinta-feira, 07/12, a Prefeitura de Vazante recebeu mais um alerta sobre o aparecimento de uma nova dolina. A cratera, localizada entre os bairros Vazante Sul e Sebastiana Alves, ainda tem dimensões desconhecidas. Agentes da Prefeitura já se mobilizaram e estão no local examinando o incidente.

Essa parte da cidade é propicia à esse tipo de evento, registrando inúmeros incidentes no decorrer dos anos, e o execesso de chuva também implica para o aparecimento das dolinas.

 

Há cinco dias sem água, moradores de Lagamar relatam dificuldades até para fazer comida

Há cinco dias sem água, moradores de Lagamar relatam dificuldades até para fazer comida

Moradores de Lagamar estão sem água desde sexta-feira, 01/12. Eles entraram em contato com a redação do Patos Hoje para cobrar providências da Companhia de Saneamento. A Copasa é a responsável pelo fornecimento de água na cidade e tem encontrado dificuldades para levar água tratada até as torneiras das residências.

O problema já ocorreu outras vezes, mas agora o longo tempo de espera pela água tem causado muitos transtornos aos moradores. “Desde sexta feira à tarde estamos sem água”, relata Renato Silva de Oliveira. Segundo ele, os moradores têm enfrentando dificuldades para fazer as tarefas mais básicas, como tomar banho e lavar as vasilhas. Se o problema não for resolvido mais rápido, os moradores de Lagamar vão ficar até mesmo sem água para beber e fazer comida. “Já não tem água nem nos supermercados para vender”, afirma Renato. Segundo ele, a Copasa alega que o problema é provocado por falhas no abastecimento de energia elétrica.

“A fornecedora diz que é por causa da energia da Cemig que não está na sua capacidade total e por isso não dá para tocar os motores. Mas nós moradores de Lagamar entendemos que a partir do momento que a Copasa foi esclarecida sobre o problema da energia, então a mesma já teria que ter tomado providências já no outro dia para não deixar a nossa população na mão” afirma o morador.

Segundo os moradores, a Copasa informou que está providenciando geradores de energia vindos da cidade de Paracatu. Eles cobram uma solução mais rápida para o problema. A redação do PO Noticias também entrou em contato com a assessoria de imprensa da Copasa e aguarda uma resposta da companhia.

FONTE

Bombeiros resgatam 15 pessoas que ficaram ilhadas em distritos de MG

Bombeiros resgatam 15 pessoas que ficaram ilhadas em distritos de MG

A madrugada desta terça-feira (5) foi de muito trabalho para militares do Corpo de Bombeiros na região da Zona da Mata. A corporação salvou 15 pessoas que estavam ilhadas em dois distritos que ficam às margens do rio Casca, que transbordou na segunda-feira (4), sendo eles Águas Férreas, que pertence à São Pedro dos Ferros, e Vista Alegre, distrito de Rio Casca.

A corporação chegou ao local por volta das 2h30. As pessoas que não conseguiram deixar as casas eram idosos e outras pessoas com dificuldade de locomoção. Alguns dos militares precisaram atravessar algumas áreas a nado para conseguirem chegar até os pontos de resgate.

Ainda segundo os bombeiros, a água atingiu quase totalmente as moradias dos dois distritos, que ficam cada um de um lado do rio. Na manhã desta terça já não chovia mais na região, e o nível da água ainda estava baixando.

O vereador Danilo Caldareli (PPS), de São Pedro dos Ferros, conta que por volta de 13h o rio Casca desceu da cidade de mesmo nome com muita rapidez, pegando os moradores do distrito de surpresa. “Muita gente não conseguiu sair de casa, teve pessoas em construções de três andares e que tiveram que ficar em cima do telhado. O problema foi para chegar socorro, já que o distrito ficou isolado por conta de algumas estradas que estão fechadas. Precisamos do apoio da PM de Raul Soares, que veio com botes, para fazermos alguns resgates”, detalha o político.

Ao todo, Águas Férreas tem cerca de 1.350 pessoas, sendo que somente dois bairros que são mais altos não ficaram debaixo d’água. “Só o bairro Alto Vera Cruz e o que é conhecido como Pendurico que não foram atingidos. Escolas, posto de saúde, ficou tudo completamente destruído. Algumas casas foram levadas pela força da água, temos muita gente desabrigada. Mas em, Vista Alegre, que é do outro lado, são mais de 1.500 pessoas e as casas são mais baixas. A situação lá talvez tenha sido até mais grave”, lamenta Caldareli.

DESAPARECIDOS

Ainda de acordo com o Corpo de Bombeiros, existem relatos de que, em Vista Alegre, um senhor identificado apenas como Luiz, de 60 anos, foi arrastado pela correnteza enquanto ajudava no resgate dos moradores e não foi mais visto. Porém, o desaparecimento dele ainda não foi confirmado pela corporação.

“Tem a possibilidade de um outro senhor, por volta dos 70 anos, ter se afogado dentro da própria casa em Águas Férreas. Ele é cadeirante e não teria conseguido sair da casa. Hoje (terça-feira) a água abaixou muito e o pessoal vai descer para lá. Talvez dê para confirmar isso. As pessoas perderam quase tudo que tinham e, dentro do possível, agora é colaborar com doações. Estamos sem luz, sem telefone e sem água, pois a central de abastecimento foi totalmente alagada”, completa o vereador.

Os bombeiros contam ainda que a principal demanda de doações no momento é por água potável, já que cerca de 1.000 pessoas estão na parte alta dos distritos.

FONTE