QUARTA-FEIRA: Petrobras anuncia aumentos de 1,70% na gasolina e de 1% no diesel

QUARTA-FEIRA: Petrobras anuncia aumentos de 1,70% na gasolina e de 1% no diesel

A Petrobras anunciou um novo reajuste para os combustíveis, com aumento de 1,70% no preço da gasolina nas refinarias e alta de 1,00% no preço do diesel. Os novos valores valem a partir da quarta-feira (18).

A nova política de revisão de preços foi divulgada pela petroleira no dia 30 de junho. Com o novo modelo, a Petrobras espera acompanhar as condições do mercado e enfrentar a concorrência de importadores.

Em vez de esperar um mês para ajustar seus preços, a Petrobras agora avalia todas as condições do mercado para se adaptar, o que pode acontecer diariamente.

Além da concorrência, na decisão de revisão de preços, pesam as informações sobre o câmbio e as cotações internacionais.

FONTE: O TEMPO

Vendas de carros importados vão explodir em 2018! Adeus, sobretaxa do IPI e viva a concorrência!

Vendas de carros importados vão explodir em 2018! Adeus, sobretaxa do IPI e viva a concorrência!

A notícia que agitou a semana e envolve nossa tão querida paixão por carros veio de forma bastante direta: a Organização Mundial do Comércio (OMC) deu um prazo de 90 dias para o Brasil suspender o Inovar-Auto, programa que sobretaxa carros importados e limita sua importação. De acordo com relatório divulgado nessa quarta-feira, 30, a OMC considerou que o Inovar-Auto é um subsídio ilegal ao ferir as leis de livre comércio, afetando empresas estrangeiras de forma injusta.

Falar em Brasil e não falar de carros importados é voltar aos tempos sombrios de nossa indústria automotiva. Impossível não lembrar do ex-presidente Fernando Collor “elogiando” nossos carros: “Carroças”, como ele disse ao abrir o mercado para os importados. Pois é, mas confesse: você quase não vê importados nas ruas hoje em dia, não é mesmo?

Em setembro de 2011, o então ministro da Fazenda Guido Mantega decretou um acréscimo de 30 pontos porcentuais sobre o Imposto Produtos Industrializados (IPI) dos carros importados, exceto aqueles provenientes do Mercosul e do México. O programa depois foi batizado de Inovar-Auto, e previa instalação de fábricas no Brasil para mais concessões e isenções de impostos.

Veja bem, estamos falando de 30% a mais. Pense que um importado com motor acima de 2 litros pagaria 25% de IPI; Com a sobretaxa, o imposto subiria para 55%. Ou seja, adeus modelo, as montadoras não são malucas, não é mesmo? Em 2011, o mercado viu um recorde de 199 mil carros importados vendidos no Brasil. Em 2017? A associação dos importados vai comemorar muito se todas as montadoras juntas emplacarem 27 mil unidades.

O governo federal formou um grupo com o objetivo de estabelecer novas metas e objetivos para a indústria até 2030, com temas que passam pela eficiência energética, tributação, investimento em pesquisa e desenvolvimento, tecnologia embarcada e segurança. O fim da cobrança da sobretaxa de 30% do IPI para carros importados já parece ser consenso.

Com o fim do Inovar-Auto, a expectativa para 2018 é de que os carros importados somem pelo menos 60 mil unidades emplacadas. Convenhamos, a notícia é boa para todo mundo, afinal de contas cria novamente uma concorrência em que a qualidade dos produtos, seus preços e condições comerciais é que determinarão sua aceitação ou não pelo público. A boa e velha saudável competição tende a voltar e elevar o padrão exigido pelos consumidores.

FONTE: AUTOVIDEOS

Leite barato e custo de produção elevado: Produtores se sentem preocupados com a situação

Leite barato e custo de produção elevado: Produtores se sentem preocupados com a situação

O litro de leite está mais barato, porém, o custo aumentou para alguns insumos. Atualmente, o leite vive uma crise no mercado que afeta diretamente os produtores e os consumidores finais do produto, isso porque as despesas fixas e matérias primas como energia e água aumentaram, o que acabou reduzindo ainda mais o lucro, e vem desmotivando os pequenos produtores a se manterem na atividade.

O ano de 2016 foi um marco para esses produtores, que conviveram com uma valorização positiva do produto. Já 2017, foi registrada uma queda significativa para a produção. Segundo o produtor Laércio José de Sousa, os lucros estão aquém em comparação com o ano passado, “Como lucramos a partir do leite em centavos, qualquer queda, que seja de R$ 0,05, já pesa no final do mês.”.

O pasto está totalmente seco, e nesse período de estiagem é necessário realizar o tratamento do gado com silo, aumentando ainda mais as despesas. A queda nos preços do leite poderá gerar grandes reflexos na produção do produto, o que desestimula o pequeno produtor a se manter na atividade.

Uma crise parecida a essa já foi vivenciada pelos produtores de leite em 2015, quando tiveram que vender parte de suas matrizes. As expectativas é de que esse cenário possa mudar, porém, os valores do produto e a atual situação dos produtores da região nos próximos meses é incerta. José Francelino, Presidente da Coopatos, afirma que problemas como a falta d’água, instabilidade econômica e política, impossibilita previsões futuras para o rendimento leiteiro.

Fonte: Patos Já

Votorantim Metais faz pedido de abertura de IPO em Nova York e Toronto

Votorantim Metais faz pedido de abertura de IPO em Nova York e Toronto

SÃO PAULO/TORONTO (Reuters) – A Votorantim Metais fez nesta quinta-feira pedido de oferta pública inicial de ações em Nova York e Toronto, com objetivo de acessar uma ampla base de investidores e apostando na recuperação dos preços de zinco, cobre, chumbo e prata.

A controladora Votorantim SA está vendendo uma quantidade não revelada de ações no IPO da Votorantim Metais, que passará a se chamar Nexa Resources e terá sede em Luxemburgo.

Outros termos do IPO, incluindo tamanho ou faixa indicativa de preço não foram informados no pedido.

A Reuters publicou em 10 de abril que a companhia planejava um IPO e em 12 de julho informou que a produtora de metais estava planejando uma oferta de 750 milhões de dólares, que avaliaria a empresa em 4 bilhões de dólares.

O IPO deverá ajudar o grupo Votorantim a reduzir dívida de cerca de 15 bilhões de reais.

A Votorantim e a Votorantim Metais contrataram JPMorgan , Morgan Stanley, Credit Suisse, BMO Financial, Bank of America, Citigroup, Bank of Nova Scotia, Bradesco e Credicorp.

SICOOB CREDIVAZ anuncia redução de juros nas modalidades de crédito da Cooperativa

SICOOB CREDIVAZ anuncia redução de juros nas modalidades de crédito da Cooperativa

Por Fabrício Corrêa/CorreioRegional.net

O Sicoob Credivaz anunciou nova redução das taxas de juros após o Comitê de Política Monetária (Copom) comunicar, neste mês de setembro, uma nova redução da taxa básica de juros da economia, a Selic.

Desde janeiro a Cooperativa, que atua nos municípios de Vazante, Lagamar e Guarda-mor, está repassando aos cooperados a redução na taxa de juros do país. No início do ano a taxa de juros era de 13,75% ao ano. Agora, com as seguidas reduções, a taxa está em 8,25% ao ano, a menor desde 30/05/2013. Essa redução tem impacto direto nas modalidades de Crédito da Cooperativa, como: Financiamento de veículos, descontos de cheques, custeio agrícolas, custeio pecuário, cheque especial, entre outras.

O Presidente do Conselho e a equipe de negócios do Sicoob Credivaz, destaca que associar-se ao Sicoob é a melhor opção para quem precisa de crédito e também para quem busca investimentos. O Sicoob possui atualmente mais de 3.000 associados em Vazante, Lagamar e Guarda-mor e é atualmente referência de gestão na região.

Em Paracatu, 70% da população só tem água através de caminhão-pipa

Em Paracatu, 70% da população só tem água através de caminhão-pipa

A seca e a estiagem prolongadas, que castigam dezenas de cidades mineiras, já estão provocando a falta de água em Paracatu, município com cerca de 100 mil habitantes, na região Noroeste do Estado.

Segundo denúncia do presidente do Movimento Verde de Paracatu, Antônio Eustáquio Vieira, que também é secretário executivo do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Paracatu, apenas 30% dos moradores estão sendo abastecidos regularmente e o 70% restantes dependem de caminhões-pipa.

De acordo com ele, o problema é antigo, mas se agravou nos últimos anos, devido à falta de investimentos no setor e à ausência de uma política pública de proteção às nascentes e aos mananciais. Ele conta que em 2015 a Agência Nacional de Águas (ANA), através do “Atlas de Abastecimento de Água”, estimou para a cidade uma demanda de 238 litros de água por segundo e recomendou a realização de investimentos no sistema de abastecimento do município.

No entanto, ainda conforme Vieira, a Copasa fez uma leitura diferente do cenário e estimou uma demanda de 210 litros por segundo. “Para abastecer o município, 150 litros por segundo eram retirados do ribeirão Santa Isabel e os 60 litros por segundo restantes vinham de poços artesianos antigos, furados pela Copasa” explica ele.

Com o passar do tempo, o manancial secou e os poços passaram a responder sozinhos pelo abastecimento da cidade. “Porém, eles não estão dando conta e para compensar a Copasa está buscando água com caminhões-pipa em rios do município”, explica Vieira. De acordo com ele, diariamente 6 milhões de litros de água são retirados dos poços artesianos e 1 milhão é fornecido pelos caminhões-pipa.

O problema, ainda segundo ele, é que a estação de tratamento local tem capacidade para tratar apenas 150 litros de água por segundo. Além disso, a rede de distribuição não é setorizada. “Primeiro, a água chega no centro da cidade e o pouco que sobra vai para os bairros. Com isso, 70% da população, que mora longe do centro, fica dias sem água encanada e é abastecida com caminhões-pipa. O pessoal acaba usando qualquer tipo de água, sem tratamento, correndo o risco de contrair doenças”, alerta ele.

Em nota, a Copasa afirma que “devido ao longo período de estiagem que tem provocado a redução do nível do ribeirão Santa Isabel e dos nove poços profundos que abastecem a cidade de Paracatu, a empresa adotou o sistema de rodízio e está complementado o abastecimento com caminhões-pipa.”
A companhia esclarece ainda que “em condições climáticas normais, a vazão da água captada no ribeirão e nos poços para atender a população é de 202 litros por segundo.

Atualmente, em razão da pior seca dos últimos 100 anos em Paracatu, essa vazão tem oscilado entre 150 litros por segundo e e 58 litros por segundo.” Diante dessa situação, “a Copasa solicita aos moradores da cidade que não desperdicem água neste momento de seca”, finaliza o texto.

Fonte: O Tempo