Não há muito que falar hoje. Classificação mais horrorosa que essa não existe. Não há nada pior do que jogar somente pela vantagem de empate, e por um empate em 0 a 0. E pior do que o Cruzeiro jogando, foi a arbitragem nessa partida, claramente sem saber o que estava fazendo.

Eu que tanto defendi a presença do Abila e do Thiago Neves, acabei decepcionada quando o Mano acreditou nessa formação. Nem um e nem outro mostrou o que se esperava nesse jogo. Jogadores celestes visivelmente perdidos em um jogo que a Chapecoense dominou, e que merecia ganhar.

Com a entrada do Rafinha, no lugar do Lucas Romero, o Cruzeiro teve uma melhora superficial, mas não conseguiu encontrar o caminho do gol. Nem com a entrada de Raniel – substituindo o atacante argentino, que já se mostrava pesado dentro de campo sem conseguir dar ritmo aos contra-ataques que a Raposa conseguia cavar- fez com que o time criasse oportunidades e marcasse ao menos um gol.

A conquista da classificação foi pelo primeiro jogo no Mineirão, pois nesse, quem mereceu mesmo foi o time catarinense.

No fim só tenho uma coisa a dizer: decepção com o jogo de hoje. E apostando sempre numa melhora no próximo, afinal em campeonato com mata-mata não se pode dar bobeira, ou do contrário teremos, este ano, uma “tríplice coroa” que não gostaríamos de conquistar, a perda de 3 títulos que poderíamos ganhar (Mineiro, Sul-americana, Copa do Brasil).

Próximo passo rumo ao penta

Na segunda-feira, será realizado no Rio de Janeiro o sorteio das quartas de final da Copa do Brasil. Não haverá restrição de cruzamentos entre os oito classificados, que são os seguintes: Flamengo, Santos, Atlético-MG, Atlético-PR, Palmeiras, Grêmio, Botafogo e Cruzeiro.

E claro, Mano Menezes dar uma arrumada na casa, pois os times classificados são de grande porte e podem retirar o Maior de Minas da competição facilmente se continuarmos a jogar dessa maneira que jogamos hoje.