O ex-prefeito de Presidente Olegário, Antônio Cláudio Godinho “Palito”, e Marcos Aurélio Costa Lagares “Marcão” de Carmo do Paranaíba, no Alto Paranaíba, flagrados pelo Ministério Público Estadual (MPE) tentando receber propina, foram exonerados dos cargos que tinham na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Eles atuavam como assessores parlamentares e a exoneração foi publicada no Diário Oficial do Legislativo esta semana.

Os ex-assessores foram investigados durante a Operação “Isonomia”, desencadeada na última terça-feira (23), contra crimes de corrupção ativa e passiva, além de tráfico de influência e lavagem de dinheiro. A investigação apura a contratação irregular de um escritório de advocacia situado em Uberlândia para prestação de serviços de compensação de créditos tributários a sete prefeituras do Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e Noroeste de Minas, nos anos de 2015 e 2016.

Presidente Olegário

Antônio Claudio Godinho do PMDB, conhecido como “Palito”, ex-prefeito de Presidente Olegário, foi flagrado em um vídeo acertando com o advogado o valor que vai receber de propina, 20% dos honorários por contratos feitos pela Prefeitura com o escritório de advocacia.

O Diário do Legislativo publicou a exoneração do cargo de assessor parlamentar do deputado Gustavo Santana nesta quinta-feira (25). A reportagem entrou em contato com o gabinete do político para saber se ele quer se posicionar e aguarda retorno.

Em entrevista, Antônio disse que representava o deputado na região do Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e Noroeste de Minas Gerais há cerca de um mês e pediu para ser exonerado após a Operação “Isonomia” por motivos pessoais. Sobre a operação, o político não quis pronunciar sobre.

(Veja o vídeo)

Fonte: G1