O governador de Minas Gerais Fernando Pimentel (PT) recebia “mensalinho” da JBS, afirma o site O Antagonista. A informação teria sido retirada da delação premiada de Ricardo Saud, um diretor da JBS.

O documento, exibido pelo site e copiado abaixo, mostra que os pagamentos seriam de 300 mil reais e eram realizados por meio de um escritório de advocacia, o Andrade, Antunes e Henrique Advogados, de Belo Horizonte. Todas essas informações teriam sido fornecidas por Saud em sua delação.

Os pagamentos teriam sido feitos antes de que Pimentel virasse governador de Minas Gerais. Antes disso, período no qual ele teria recebido pagamentos, era ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, durante o governo de Dilma Rousseff.

Os pagamentos, de acordo com o documento publicado pelo site, teriam sido feitos no período entre os dias 6 de agosto de 2013 e 29 de outubro de 2014.

Os documentos das delações premiadas da JBS ainda estão sob sigilo. A expectativa é que o STF derrube o sigilo nas próximas horas.

EXAME.com entrou em contato com a assessoria do governador e aqui está seu posicionamento.

“O acusador não apresenta provas para sustentar sua versão. O Governador não tem e não teve, em tempo algum, qualquer ligação com esse escritório. Certamente a pergunta deverá ser encaminhada e respondida pelo apontado emissário das notas fiscais de serviços profissionais.”

Fonte: Exame