Professores, diretores, coordenadores e alunos de 53 escolas municipais de Boa Vista tiveram que mudar a rotina com o início do ano letivo de 2017 para receber 408 alunos venezuelanos matriculados na rede pública .

Na escola municipal Jânio da Silva Quadros, no bairro Tancredo Neves, zona Oeste da capital, a recepção e o cardápio foram traduzidos para o espanhol. A diretora, Maria de Jesus, diz que é uma forma de mostrar aos 20 alunos estrangeiros que eles são bem vindos.

“Na escola eles vão ser alfabetizados e terão todo o ensino em português. Essas mudanças nas placas, com palavras em espanhol, é uma forma de acolhê-los, de dizer que eles são bem vindos e que nos preocupamos com o bem estar deles”, explicou a diretora.

Escola traduziu cardápio para o espanhol: ‘Essa mudança nas placas, com palavras em espanhol, é uma forma de acolhê-las’

A maior mudança, entretanto, ocorreu dentro das salas de aula. Professores que não falam espanhol, língua usada na Venezuela, se viram obrigados a buscar métodos de compreender e serem compreendidos pelos alunos.