Novos lotes de vacinas contra Covid-19 devem chegar ao Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste de MG nesta quinta-feira

Minas Gerais

Cidades do Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e o Noroeste de Minas Gerais devem receber novos lotes de vacinas contra a Covid-19 nesta quinta-feira (28). A informação foi confirmada pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) nesta terça-feira (26) a pedido do G1.

De acordo com a secretaria, as doses serão encaminhadas para as 28 Unidades Regionais de Saúde (URS) do estado, que abrangem gerências e superintendências.



Nas regiões, as vacinas são encaminhadas para as cidades de Uberlândia, Uberaba, Ituiutaba e Patos de Minas. Já Paracatu, no Noroeste de Minas, recebe as vacinas encaminhadas pela gerência de Unaí. Essas unidades fazem a distribuição aos demais municípios.

O número de imunizantes que serão enviados para cada região não foi informado. Segundo o Estado, a logística de distribuição deverá ser a mesma do primeiro lote.

A retirada das vacinas é de responsabilidade de cada município. Profissionais de saúde e idosos continuam tendo prioridade no plano de vacinação.



SES recebe doses

No último domingo (24), Minas Gerais recebeu 190,5 mil doses da vacina Covishield, fabricada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em parceria com o laboratório AstraZeneca e a Universidade de Oxford.

Nesta segunda-feira (25), o estado recebeu mais 87,6 mil itens da CoronaVac, fabricada pelo Instituto Butantan, em parceria com o laboratório Sinovac.

Conforme o governo estadual, as vacinas estão armazenadas na Rede de Frio do Estado e de lá serão encaminhadas por meio terrestre ou aéreo para as regiões. A escolta dos imunizantes é feita pelas forças de segurança pública.



Vacinação

A vacinação contra Covid-19 começou a ser feita no Triângulo e Alto Paranaíba na última terça-feira (19), assim que doses foram distribuídas na região. O G1 acompanhou o momento nas maiores cidades do interior, como UberlândiaUberabaPatos de Minas e Ituiutaba.

Para fazer uma balanço sobre a primeira semana, a reportagem entrevistou um infectologista que falou sobre a eficácia e estimativa de quanto tempo o país precisará para vacinar a população. E também ouviu um psicólogo que analisou o comportamento da sociedade diante da imunização.

G1



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *