PREOCUPANTE: Guarda-Mor e Vazante estão entre as três cidades da região com maior incidência de dengue; confira os dados completos



No último boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde de Minas (SES-MG), na segunda-feira, 22 de abril, Vazante, Lagamar, Guarda-Mor e outras cidades da região estão classificadas com incidência Muito Alta de dengue.

De acordo com os dados há os seguintes números de casos suspeitos:
Vazante: 499
Lagamar: 62
Guarda-Mor: 253
Presidente Olegário: 207
Lagoa Grande: 50
João Pinheiro: 1.217
Coromandel: 177
Paracatu: 1.565
Patos de Minas: 1.526

Pelos dados, com base no número populacional, as cidades de:
Guarda-Mor (3838,57)
João Pinheiro (2506,13)
Vazante (2429,76)
possuem as maiores incidência de dengue. Para se chegar a esse valor divide-se o número de casos pela população.

Em 2019, até o momento (dados atualizados em 22/04), Minas Gerais registrou 140.754 casos prováveis (casos confirmados + suspeitos) de dengue.

Segundo a SES-MG, em 2019, até o momento, foram confirmados 14 óbitos por dengue dos municípios de Arcos (1), Betim (6), Frutal (1), Ibirité (1), Paracatu (1), Uberlândia (2) e Unaí (2). São 57 óbitos em investigação para dengue, entre eles de dois vazantinos. Vale ressaltar que os óbitos em questão foram notificados ao longo de 2019 e não são, necessariamente, óbitos recentes.

Em relação à Febre Chikungunya, Minas Gerais registrou 1.301 casos prováveis da doençaem 2019. Até o momento, não houve registro de óbitos suspeitos da doença.



Já em relação à Zika, foram registrados 497 casos prováveis da doença em 2019, até a data de atualização do boletim.

A SES-MG esclarece que um registro maior de casos é esperado para este período (meses quentes e chuvosos) devido à sazonalidade da doença. Dessa forma, o estado está em situação de alerta para esse aumento no número de casos das doenças transmitidas pelo Aedes (dengue, chikungunya e zika).



A SES-MG destaca que as ações de controle da Dengue, Zika e Chikungunya são permanentes, ocorrendo durante todo o ano. Dentre as ações desenvolvidas pela Secretaria para o enfrentamento ao Aedes estão:

  • Realização de reunião técnica com as regionais de saúde em setembro de 2018 para revisão das atividades do Programa Estadual de Controle das Doenças Transmitidas pelo Aedes;
  • Monitoramento dos indicadores municipais do PROMAVS (Programa de Monitoramento das Ações de Vigilância em Saúde do Estado de Minas Gerais). Dentre todos os indicadores, um deles é referente à obrigatoriedade de cadastro dos agentes de combate a endemias (ACE) no CNES (Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde) pelo município, mantendo vínculo no serviço. Isso gera continuidade nas ações de prevenção e controle das arboviroses;
  • Elaboração dos Planos de Contingência Estadual e Municipais para prevenção e controle das doenças transmitidas pelo Aedes. A partir da fase em que o município se encontra, algumas ações são desencadeadas pelo Estado.

>> Clique aqui e confira o Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus da SES-MG para a IMPRENSA (atualizado em 22/04/2019);



>> Clique aqui e confira o Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus da SES-MG para a ÁREA TÉCNICA (atualizado em 22/04/2019);

>> Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Dengue por município em 2019 (atualizado em 22/04/2019).



>> Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Chikungunya por município em 2019 (atualizado em 22/04/2019).

>> Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Zika por município em 2019 (atualizado em 22/04/2019).



>> Clique aqui e acesse os dados preliminares do LIRAa de janeiro de 2019.


Written by 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *