Comitiva vazantina visita região afetada pela tragédia em Brumadinho




Saiu nesta quarta-feira, dia 30 de janeiro, uma comitiva com oito pessoas com o objetivo de avaliar os impactos sociais, econômicos e ambientais na área afetada pela tragédia de Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte.

O fato que ocorreu na sexta-feira, 25 de janeiro, e chocou o Brasil e o mundo. O rompimento da barragem na Mina do Feijão levanta diversas discussões ambientais, sociais e econômicas.



E é exatamente esse impacto que a comitiva irá avaliar, com o foco de trazer informações que possam contribuir com a sociedade da região. Vale destacar que em Vazante e Paracatu existem seis barragens.

A equipe é coordenada pelo geólogo Ricardo Fráguas, diretor da SSMA Consultoria e Arqueologia, e formada por profissionais das áreas ambiental, jurídica, geologia, arqueologia e comunicação, a qual conta com o apoio da agência 9dade Comunicação e do site de Notícias CorreioRegional.Net.



“Diante da minha consternação sobre a gravidade deste assunto, que afeta todo a cadeia produtiva da mineração e o stakeholder envolvido, a SSMA Consultoria Ambiental e Arqueologia, conduzirá com apoio de voluntários com atuação em EiaRima, o Estudo de Caso do Rompimento da Barragem do Feijão em Brumadinho, com foco na avaliação de valores e percepção sócio ambiental do stakeholder envolvido. Entendemos que para as ações de análise crítica do setor de mineração e ações de revisão de políticas governamentais e de implantação de programas de controle e monitoramento de barragens específicos, nossa equipe de consultores voluntários, terá uma visão sistêmica de responsabilidades. O sistema é o maior responsável, o stakeholder é vulnerável com pouco conhecimento em riscos ambientais. Entendemos que esta poderá ser a nossa contribuição para o setor”, disse Ricardo Fráguas, diretor da SSMA Consultoria Ambiental e Arqueologia.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *