Agência Nacional de Águas divulga relação de barragens que passarão por fiscalização; Vazante e Paracatu estão na lista




Em todo o país, 3.386 barragens enquadradas na Categoria de Risco (CRI) alto ou com Dano Potencial Associado (DPA) alto, de acordo com a Agência Nacional das Águas (ANA), terão fiscalização priorizada. Destas, 274 ficam em Minas Gerais.

De acordo com o relatório duas destas barragens estão na região. A barragem Aroeira, que aparece na lista como do empreendedor Votorantim Metais Zinco S/A, hoje Nexa Resources, fica em Vazante.



Esta barragem está classificada no relatório, segundo a ANA, como Categoria de Risco da Barragem: Baixo; e Dano Potencial Associado: Alto.

A mesma classificação segue para as barragens da empresa em Paracatu, em Morro Agudo. A barragem da Kinross, em Paracatu, também recebeu essa classificação e passará por fiscalização. Veja abaixo a relação:



Baixe a lista completa de todas barragens do país no link abaixo.

A determinação de fiscalização foi publicada pelo Conselho Ministerial de Supervisão de Respostas a Desastre do Governo Federal, nesta terça-feira (29).



As barragens são de produção de energia elétrica, contenção de rejeitos de mineração, disposição de resíduos industriais e de usos múltiplos de água.

ANA, Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Agência Nacional Mineração (ANM) e governos estaduais serão responsáveis pela fiscalização.



O objetivo é tentar evitar tragédias como a de Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, e Mariana, na Região Central do estado.

O QUE DIZ A NEXA



Nossas barragens estão classificadas como risco baixo, em função das características do projeto, estado de conservação e plano de segurança. O dano potencial é alto, em função do volume do reservatório, presença de população a jusante e características do rejeito. Daí, a razão de estarem na lista das barragens priorizadas. É importante ressaltar que a Nexa possui um sistema preventivo de gestão de barragens que garante a integridade dessas estruturas e a preservação do meio ambiente local. Este processo contempla ações da própria empresa, que passam por auditorias técnicas permanentes realizadas por especialistas internos e profissionais externos independentes. A empresa ressalta que todas as suas barragens possuem laudos técnicos que garantem a estabilidade das operações. Estes relatórios são encaminhados sistematicamente aos órgãos fiscalizadores.

O QUE DIZ A KINROSS



Por meio de nota, a Kinross se manifestou e disse que trabalha com as melhores práticas na construção de barragens e possui procedimentos rigorosos de manutenção e monitoramento, incluindo inspeções diárias e acompanhamento mensal por instrumentos e análise de dados.

A empresa possui um plano de emergência sempre atualizado. Em novembro de 2016, a empresa realizou, em parceria com a Defesa Civil Municipal, o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar, treinamentos com comunidades vizinhas à barragem. A ação, que integra o plano de emergência da Kinross, visou repassar ao público informações sobre como proceder em situações de emergência.



Para reforçar a transparência de sua operação, ampliou o Programa de Visitas e incluiu a Barragem dentro do roteiro para que assim, os visitantes possam conhecer e tirar dúvidas com relação a nossa operação. Em 2018, mais de 1000 pessoas visitaram a Mina do Ouro.

Em 25 anos de história, a Kinross nunca teve qualquer evento de rompimento da barragem em suas nove operações ao redor do mundo. Todas as nossas instalações são projetadas, construídas e mantidas com os mais altos padrões de engenharia. Segurança e integridade física, incluindo a capacidade de resistir a tempestade e eventos sísmicos, são algumas das principais considerações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *